Busca

 
 
Com nota 10, o aluno de Engenharia Mecatrônica da Universidade Católica de Petrópolis (UCP), Kim Loureiro, concluiu o curso com chave de ouro não apenas com a nota máxima, mas ao apresentar um trabalho inédito na Instituição. O estudante de 26 anos montou um drone com autonomia de voo de 19 minutos e alcance de cinco quilômetros. A criação e montagem do equipamento foi o tema do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) apresentado na noite desta quarta-feira (20.06) pelo aluno no campus Barão do Amazonas.

“O bacana desse trabalho é, principalmente, porque é um projeto inovador. Já tivemos diversos projetos que gerassem um produto. Mas nesse caso é um produto que está no mercado hoje como algo diferenciado. A venda de drones aumentou absurdamente e ele tem diversas aplicações pessoais, como hobby, e profissionais, como entrega de produtos. Só que esses drones, profissionais e semiprofissionais, tem custo elevadíssimo, podendo alcançar valores acima de R$ 20 mil”, comenta Fábio Licht, diretor do Centro de Engenharia e Computação da UCP, e também orientador do aluno. Ele explica que este montado por Kim custou um décimo desse valor.

Aluno de Engenharia Mecatrônica apresenta TCC sobre drone

“Todas as peças foram especificadas, selecionadas e compradas seguindo o projeto e não como um kit facilmente encontrado no mercado. Tudo custou pouco mais de R$ 2.500. E só ficou esse valor final por conta do controle e bateria, que juntos, custam praticamente metade do valor”, disse. 
Funcionário de uma empresa do setor de óptica e optoeletrônica, Kim decidiu sair da zona de conforto e desenvolver um tema para o seu TCC diferente do que está habituado a fazer. 

“A ideia surgiu no meu PTCC (Projeto de Trabalho de Conclusão de Curso), que é justamente quando temos que pensar o que queremos apresentar.  Pensei em fazer algo diferente, fora do comum justamente para poder abrir mais a cabeça, ver novos ares. E me interessei muito pelo modelismo de drones e quadricópteros”, conta o aluno que nunca tinha sequer pilotado um drone antes do projeto.

“Eu aprendi tudo para fazer o projeto. A engenharia é alucinante. É muito maneiro. Tem muitos componentes e aplica muita coisa de mecânica, de elétrica, eletrônica e computação, e até mesmo programação em alto nível. Sem dúvida não faria nada sem tudo o que aprendi aqui na faculdade”, afirma Kim. Com peso de 1,700 Kg, o equipamento foi montado com cerca de 25 elementos, incluindo uma placa com sensores que fazem com que o drone se auto posicione, tenha noção de nivelamento e altitude, geolocalização, entre outros fatores.

“Ele fez um produto que hoje pode ser usado comercialmente para várias atividades e foi desenvolvido totalmente pelo aluno. Ele pesquisou tudo; comprou os equipamentos e as peças; fez a montagem do drone e fez os testes sozinho. E é uma coisa bacana ressaltar porque o principal é a formação que queremos que o aluno saia. Uma formação profissional que atenda a demanda do mercado. E essa é uma demanda do mercado. Um drone hoje em dia, além da paixão por quem curte brincar, é um produto que não é só um brinquedo, ele é profissional”, frisa Fábio.

Concorda com ele o coordenador do curso de Engenharia Mecatrônica, Paulo Leite. “Esse é o tipo de TCC que a gente espera. Que tenha um projeto e uma montagem. Uma monografia, um estudo, uma prática e um produto”, completa Paulo Leite, que também foi um dos avaliadores da banca de monografia do aluno.

Canções emblemáticas de clássicos do cinema de várias gerações e públicos, como Cinema Paradiso, Titanic, tema da animação Frozen, La La Land entre tantos outros embalaram o II Concerto Temático promovido pela Escola de Música UCP. Com o tema Filmes, o evento realizado na noite desta sexta-feira (15.06), no auditório do campus BC, atraiu o público com diversas apresentações dos alunos da Escola de Música.
 
“A ideia do concerto é o aprimoramento com temas de filmes e coisas que atraiam mais os alunos, e saiam um pouco do cotidiano daquele repertório de estudo, com repertório de apresentação, concerto e show”, explica o coordenador pedagógico da EMUCP, Tharcio Becker.

Realizado anualmente, o concerto tem como objetivo aprimorar os alunos, não apenas tecnicamente, mas performaticamente. São mais de dez apresentações de canto e diversos instrumentos, como piano, violão e outros.

“A importância desse evento é preparar o aluno para o palco. Dar a ele o estímulo além do que ele tem da sala de aula, das apresentações normais de fim de ano e rotineiras, que aconteçam ao longo do ano, mas que preparem ele também para esse contato com o público. O que é também uma parte de formação que a Escola de Música oferece. A nossa formação não é só dentro de sala de aula, teorias e ensaios, tudo com professor. Mas também com essa parte prática que a gente visa atender essa demanda. O aluno que vem estudar música com a gente quer se aprimorar e se apresentar. Essa é uma das oportunidades que oferecemos”, frisa Tharcio.

View the embedded image gallery online at:
http://www.ucp.br/web/index.php/noticias-ucp#sigFreeIddbf08a5bb3
As Atléticas de Direito e Psicologia da UCP se destacaram em campeonatos realizados no fim de maio e início deste mês. Campeã pela primeira vez nos Jogos Jurídicos 2018, a Atlética Imperial de Direito ganhou o título no futebol de campo masculino, além de outras premiações em quatro modalidades. Já a Triton, a Atlética de Psicologia, foi vice-campeã no Campeonato Universitário Petropolitano (CUP) com o vôlei feminino.

Nos Jogos Jurídicos, além do título do futebol de campo, a Atlética Imperial ainda conquistou o terceiro lugar no basquete masculino; o terceiro lugar no judô feminino; o terceiro lugar no salto em distância feminino; e ainda três medalhas na natação feminina - sendo 2 bronzes e 1 prata - sem contar outras boas colocações em diversas modalidades entre as 14 que competem. 

Atlética Imperial de Direito foi campeã no futebol de campo nos Jogos Jurídicos 2018

“Sou suspeito para falar da importância das Atléticas na vida universitária, pois por diversas vezes o que me manteve no curso foi a Atlética e tenho certeza que há diversas histórias parecidas com a minha. Pude acompanhar o nascimento e auxiliar na estruturação de outras atléticas e ficamos felizes de ver o esporte universitário crescendo, isso em muito nos alegra”, afirma Pedro Melo, presidente da Atlética Imperial de Direito.

Em sua segunda edição, o Campeonato Universitário Petropolitano (CUP) destacou a Atlética de Psicologia, que tem apenas três anos de existência. Na curta trajetória ela já é bi-campeã do vôlei feminino no Intercursos; vice-campeã do xadrez e tênis de mesa, ficando em 5° lugar no geral do campeonato.

Atlética de Psicologia Triton foi vice-campeã no Campeonato Universitário Petropolitano
“Esse título é muito importante para nossa Atlética, pois é o primeiro troféu, principalmente por ter sido fora da UCP. Enfrentamos a Atlética de Medicina de Petrópolis e foram três rodadas e uma super final disputadíssima! Jogos disputadíssimos ponto a ponto, sem termos técnico! Somos vice-campeã com gosto de campeã, não desmerecendo o título de Medicina. Com esse resultado, só temos motivos de querer crescer cada vez mais, tanto com os atletas quanto a torcida, que é muito importante”, comemora Daniel Maiworm, vice-presidente da Atlética, que também destaca a importância das Atléticas na vida universitária.
 
“O papel das Atléticas é de unir mais ainda o curso, promovendo a prática esportiva e a interação com as demais Atléticas, seja com as da UCP ou com as de fora”, frisa.

View the embedded image gallery online at:
http://www.ucp.br/web/index.php/noticias-ucp#sigFreeIde74f8909ba