Busca

 
 
Analisar uma empresa ou marca e propor mudanças e soluções para o problema apontado pelo cliente. Essa é a proposta do Projeto Integrador, atividade realizada pelo curso de Comunicação Social/Publicidade e Propaganda da UCP. Nesta segunda-feira (25.06) alunos que participaram da atividade neste período apresentaram seus trabalhos aos professores das disciplinas envolvidas e ao cliente avaliado: Graças Torradas. 

“A importância desse projeto é em especial a gente trazer um cliente e uma empresa para que o aluno faça a aplicação de teorias ensinadas, com esse aprendizado em sala de aula. Trazemos o cliente e o aluno tem a experiência de poder trabalhar planos, estratégias, direcionamentos e ações de comunicação de uma maneira mais real e mercadológica. A ideia desse projeto é que disciplinas de comunicação, em especial que envolvam layout, criação de embalagem, mídia, formatos publicitários para mídia impressa e planejamento de mídia, sejam discutidas junto com o cliente”, explica Tadeu Carvão, um dos professores do curso envolvido no projeto.

Anderson Loreti, um dos sócios da empresa familiar, que apresentou o produto no início de maio e participou nesta segunda da apresentação das propostas
Anderson Loreti, um dos sócios da empresa Graças Torradas, que apresentou o produto no início de maio aos alunos e participou nesta segunda da apresentação das propostas


No primeiro momento, os alunos fizeram a coleta de dados do produto para o desenvolvimento de um briefing de criação, e a partir deste briefing trabalharam produtos midiáticos visando a divulgação do produto na área de atuação. A empresa familiar foi apresentada por um dos sócios, o empresário Anderson Loreti, que mostrou a linha de produtos; criação; linhas de comunicação; e apresentou também o cenário do produto junto à concorrência.

“O grande diferencial deste evento é que estamos trazendo um produto que nasceu em Petrópolis e que está sendo expandido, com uma atuação já no Rio de Janeiro, mas com um olhar de ir para o exterior. A intenção é internacionalizar o produto, e consequentemente, a marca. Mas ele também apresentou uma preocupação com um dos produtos que ainda não tem a visibilidade desejada para os alunos trabalharem nesse ponto também”, explicou Tadeu que destaca a contribuição enriquecedora desse projeto para os alunos dentro da academia. 

Concorda com ele o sócio da empresa analisada, Anderson Loreti. “Achei super interessante essa atividade e muito importante neste momento, porque as duas coisas ficam meio isoladas: a academia e as empresas. Nós temos que ter uma conversa maior desses temas, porque às vezes os alunos e profissionais chegam às empresas e não tem uma percepção da realidade do que uma empresa espera e do que acontece de fato. E pode acabar gerando uma decepção de parte a parte. E quando começa a ter essa integração já desde cedo, as coisas mudam. Todo mundo chega mais preparado às empresas e as empresas também mudam o olhar”, observa.

Os alunos também entendem que a atividade contribui para um melhor aproveitamento do conhecimento passado em sala de aula. 

“Acho que é maravilhoso a gente trabalhar o mais próximo da realidade e ter essa oportunidade dentro da faculdade. É ótimo. E é interessante porque a gente lida com várias situações. Em um período nós pegamos um cliente com um super potencial financeiro e agora é uma empresa com um poder menor e temos que nos adequar com essas mudanças também. É mais desafiador. E é muito mais enriquecedor trabalhar mais próximo da realidade. Porque quando fica só na teoria e chega na prática, no mercado, é totalmente diferente e é muito mais complicado”, disse um dos alunos da atividade, Jonas Margiotta Viana, do 5º período.