Busca

 
 
Temas como construção com parede de concreto; em steel frame, que é uma construção metálica que está em alta; e toques de impermeabilização foram alguns dos assuntos debatidos no seminário Sistemas Construtivos, Acessibilidade e Sustentabilidade, promovido pela UCP no fim de semana. Voltado a estudantes de Engenharia Civil e Arquitetura, além de profissionais das áreas e também público em geral, o evento foi realizado durante toda a sexta-feira (18.05) e sábado (19.05) no campus Barão do Amazonas.

“O objetivo do evento é permitir aos alunos acesso a profissionais do mercado, especialistas em diversos temas envolvendo a temática do seminário. E obviamente abrir uma possibilidade para os profissionais do município poderem se atualizar sem ter que sair da cidade, com um custo menor, mas com especialistas e renomados profissionais de São Paulo, Rio e Belo Horizonte”, destaca o professor e coordenador do curso de Engenharia Civil da UCP, Robson Luiz Gaiofatto.

A programação contou com diversas palestras com renomados profissionais do mercado e a intenção é realizar o seminário anualmente.

"A ideia é abordar a cada edição assuntos específicos sobre o tema Sistemas Construtivos, Acessibilidade e Sustentabilidade, que é muito amplo e abre um leque de muitas possibilidades para os estudantes, profissionais e até o público em geral. Até quem está envolvido com uma obra em casa é uma boa oportunidade de conhecer caminhos e trocar ideias com os profissionais. Já os profissionais da cidade é uma chance para se atualizarem. E para os alunos é um complemento de tudo o que é dado em sala de aula e uma excelente oportunidade de conhecer as coisas e técnicas novas”, explica Gaiofatto.  

É o que apontam os estudantes, que acreditam que eventos como o seminário contribuem para uma melhor formação do futuro profissional.  
“É muito importante que esses eventos possam acontecer de forma contínua na universidade, porque não ficamos presos somente às coisas teóricas que são passadas na sala de aula. Assim conhecemos a vivência prática do profissional para que possa nos proporcionar maior aprendizado. É de suma importância que a faculdade sempre tente nos proporcionar esse tipo de experiência para a gente, pois acabamos indo por um caminho melhor para a nossa formação”, afirma Leonardo Correa, estudante do 6º período de Engenharia Civil.  
View the embedded image gallery online at:
http://www.ucp.br/web/index.php/en/noticias-ucp#sigFreeId51c0912fbc
Aferição de pressão e medição de glicose; orientações para evitar a queda em idosos; avaliação física; esportes e atividades para pessoas com deficiência física; além de muita diversão com aula de ritmos e brinquedos para a criançada, entre outros. Assim foi o Dia da Saúde UCP, realizado no último sábado (19.05) no Centro Poliesportivo, no Bingen. Parte das comemorações pelos 65 anos da Instituição, o evento atraiu o público que participou das diversas ações que visaram o cuidado com a saúde e bem estar da população de todas as idades.

“Ficamos muito felizes em levar à comunidade um pouco de informação e conhecimento dos nossos professores, objetivando o cuidado e prevenção com a saúde do público de todas as idades. Além de uma série de atividades para o lazer da comunidade, inclusive uma programação para as pessoas com deficiência, em um dia de muita alegria e celebração no nosso Centro Poliesportivo, que é um local voltado ao bem estar e à saúde”, destaca o vice-reitor da UCP, Marcelo Vizani.

O evento atraiu desde crianças, que curtiram os brinquedos e atividades, como a oficina de ginástica artística, ao público idoso que aproveitou a oportunidade para cuidar da saúde. Foi o que fizeram Antonieta Mayworm, de 79 anos, e Maria da Glória Lima, de 83 anos, que aferiram a pressão e mediram a taxa de glicose. 

“Achamos ótimo, maravilhoso que a universidade tenha feito um evento como esse. Vocês estão de parabéns. Super aprovado o evento”, elogiaram. 

Concorda com elas o taxista Roberto César Guimarães, de 54 anos, que também deu uma passadinha no evento para participar. “Muito legal essa ação. Muito importante a universidade oferecer isso para à população”, comenta o taxista.

Entendendo a importância da integração e de oferecer atividades para as pessoas com deficiência, o Dia da Saúde UCP também contou com programação especial para esse público. Partidas de bocha, ping pong e até uma disputa de corrida animou a galera. E a iniciativa foi aprovada. 

“Acho excelente iniciativas como essa. Muito bom, porque Petrópolis não tem nada praticamente para fazermos. Fiquei muito feliz com essa ação. Porque se formos analisar a única coisa que temos para fazer no fim de semana é passear e ter algum esporte eu gostei bastante. É muito importante”, afirma o inspetor mecânico Luiz Fernando Lousada, de 28 anos, cadeirante após sofrer um acidente de trânsito no ano passado.

O Dia da Saúde UCP aconteceu no sábado, durante toda a manhã até o início da tarde, com mais de 10 atividades no Centro Poliesportivo no Bingen.

View the embedded image gallery online at:
http://www.ucp.br/web/index.php/en/noticias-ucp#sigFreeId0d43aa97ff
Em conformidade com o tema da Campanha da Fraternidade 2018, que aborda a superação da violência, e como forma de destacar dois marcos importantes no Brasil: o Dia Nacional da Luta Antimanicomial e o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes – comemorados no dia 18 de maio – a UCP realizou nesta quarta-feira (16.05) o Fórum Perspectivas Psicossociais em Saúde Mental e Violência. Organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGP) da Universidade, o evento promoveu durante todo o dia, no campus BC, diversas palestras sobre a temática que levaram o público a refletir sobre o assunto. 

“O evento tem relevância a partir do momento em que podemos discutir toda a questão das lutas. Seja a violência, seja em relação à repercussão que temos da saúde mental, que são lutas que são vivenciadas no tempo, onde buscamos trazer um referencial teórico do entendimento dessas lutas. Mas alinhando a questão da prática, das pessoas que estão intervindo nos núcleos de atendimento a vítimas de violência, atendimentos que a gente possa intervir nessa realidade”, comenta o coordenador do PPGP, Luís Antônio Monteiro Campos.

Segundo ele, o fórum é um caminho de unir a teoria à reflexão de questões reais na sociedade. 

“Acho que o evento ganha relevância por podemos tocar nesse assunto, que é o tema da campanha da fraternidade, a superação da violência. E alinhar com a questão teórica da universidade, no sentido mais lato. Uma demanda teórica, ao nível de ciência, mas juntar com uma demanda de tratar de um tema tão sério, que é a violência”, frisa.

Para a professora de Psicologia da UCP, Cristiane Moreira, o fórum abriu espaço para discussão de um tema real e importante para a sociedade.

“É o primeiro fórum dessa temática que o mestrado em Psicologia da UCP realiza e foi organizado pelas alunas, que ajudaram a montar a programação. É importante porque traz um debate para o público em geral, para a cidade, sobre essas questões que são fundamentais. Assim como para amadurecer o que a ciência tem para colaborar com isso. E toda a perspectiva do evento foi interdisciplinar. Contamos com o pessoal da Assistência Social, da Psicologia e do Direito”, comenta a docente.

View the embedded image gallery online at:
http://www.ucp.br/web/index.php/en/noticias-ucp#sigFreeId1f3a3fbdb3