Busca

            
 
 

A mediação é uma forma de solução de conflitos que conta com a atuação de um terceiro, independente e imparcial, chamado de mediador, o qual ajuda particulares em conflito a chegar a um acordo que seja satisfatório para ambas as partes.

O treinamento é utilizado com o objetivo geral de desenvolver competências para mediar/ conciliar conflitos no âmbito público e privado. Considerando a carga horária, serão abordados aspectos gerais da conciliação/ mediação, princípios, panorama histórico e legislação atual, moderna teoria do conflito, pressupostos teóricos, fases das sessões autocompositivas, algumas técnicas aplicáveis às sessões de conciliação e mediação, diferenças entre escolas de mediação, qualidades do mediador.
 
Dentro deste contexto, a metodologia vivencial de treinamento será adotada, por ter como característica principal o caráter inovador e não convencional da aprendizagem. Serão propostas atividades nas quais os participantes são retirados de suas zonas de conforto habitual e incentivados a superar desafios, testar seus limites e resolver criativamente os obstáculos enfrentados. O método vivencial trabalha a exposição do conteúdo, exemplos práticos (vídeos), dinâmicas cooperativas, simulações e trabalhos lúdicos. Os participantes enfrentam situações que questionam seus paradigmas, exigindo criatividade e vontade de mudar para superá-las.

 
Ministrante:

Geovana Faza da Silveira Fernandes: Funcionária Pública desde 2004. Diretora do Centro Judiciário de Conciliação e Mediação da Justiça Federal de Juiz de Fora/MG. Instrutora de conciliação e mediação formada e certificada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pelo Conselho da Justiça Federal (CJF). Mestre em Direito pela Universidade Católica de Petrópolis. Pós-graduada em Direito pela PUC Minas. Pesquisadora Visitante na Boston College Law (Boston).


Objetivos:

O curso engloba a conciliação e a mediação, e seu objetivo geral é oferecer um conteúdo que promova a capacitação dos diversos agentes interessados na prática da mediação e da conciliação no contexto público, em processos judiciais, e privado, extrajudicial. Além disso, busca promover o desenvolvimento de habilidades autocompositivas, como um processo pedagógico para a autonomia dos sujeitos e a promoção de atitudes mediadoras. O curso segue os padrões da Resolução 125/2010 do CNJ.
  

Público-alvo:

Professores do Núcleo de Práticas Jurídicas da Universidade Católica de Petrópolis, professores em geral, advogados. Poderão participar do curso bacharéis de qualquer área e estudantes da graduação matriculados a partir do 7º período.

Conteúdo Programático:

Módulo I – Introdução:

  • Panorama histórico dos métodos consensuais de solução de conflitos;
  • A política judiciária nacional de tratamento adequado de conflitos;
  • Considerações sobre a Lei de Mediação e o Novo Código de Processo Civil.

 
Módulo II – O novo paradigma em resolução de disputas:

  •  Cultura da paz e métodos de solução de conflitos;
  • Os métodos autocompositivos de resolução de conflitos (mediação, conciliação e negociação);
  • Políticas públicas em resolução adequada de disputa – Resolução 125/2010 do CNJ.

 
Módulo III – Fundamentação Teórica:

  • Panorama nacional e internacional;
  • Autocomposição e heterocomposição – prisma;
  • Moderna Teoria do Conflito;
  • Teoria dos jogos;
  • Equilíbrio de Nash e sua aplicabilidade no planejamento de sistemas de resolução de conflito;
  • A teoria autocompositiva – cooperação ou competição;
  • Fundamentos da negociação;
  • Negociação baseada em interesses e negociação posicional;
  • Barganha distributiva e negociação integrativa;
  • Percepção, Reação e Procedimentos de Resolução de Disputas;
  • Processos Construtivos e Destrutivos de Resolução de Disputas;
  • Espirais de Conflito;
  • Resultados da apropriada abordagem do Conflito.

 
Módulo IV – Apresentação à conciliação e à mediação:

  • Conciliação e Mediação;
  • Diferenças entre conciliação e mediação; amplitude do problema e estratégias do conciliador/mediador;
  • Etapas da conciliação;
  • O processo de mediação - interdisciplinaridade;
  • A formação do mediador;
  • Qualidade de um programa de mediação;
  • As atitudes do mediador;
  • Etapas da mediação;
  • A fase inicial da mediação;
  • Declaração de abertura e a colocação das regras com vistas a adesão ao processo de mediação;
  • A escuta e a comunicação na mediação;
  • O desenvolvimento da mediação;
  • Organização dos debates;
  • Resumo positivo e prospectivo;
  • Ferramentas para provocar mudanças;
  • Resolução de questões;
  • O termo de acordo.

 
Módulo V – A ética na conciliação/mediação:

  • O papel do conciliador/mediador e sua relação com os envolvidos na conciliação e na mediação;
  • Ética de conciliadores e mediadores;
  • Os princípios norteadores da conduta do conciliador e do mediador;
  • Os limites da confidencialidade.

 
Módulo VI – Simulações:

  • Exercícios simulados.

  

Certificação:

O aluno receberá o certificado de realização das 40 horas teóricas, nos termos da Resolução 125/2010 do CNJ, que o habilitará a realizar a parte prática. O interessado deverá realizar o estágio supervisionado de 60h em unidades de conciliação e/ou mediação (Centros Judiciários), de qualquer área da justiça (estadual ou federal), ou em núcleos de prática jurídica de instituições credenciadas nos órgãos da Justiça Estadual ou Federal para realização das audiências. Somente após aprovação no estágio supervisionado o mediador poderá realizar seu cadastro na plataforma do CNJ.
 
Após a certificação, o mediador/conciliador também poderá atuar como facilitador extrajudicial.

Rua Benjamin Constant, 213 
Centro - Petrópolis/RJ
24 2244-4000