Busca

                
 
 
  • Com o título Módulo de Elasticidade do Concreto: Um estudo semi probabilístico e seus desdobramentos, o artigo escrito a quatro mãos pelos professores da UCP, Ana Carolina Carius e Vinícius Furtado, pelo técnico de laboratório, Alex Justen Teixeira, e pelo aluno Leonardo de Souza Corrêa será publicado em um livro sobre Engenharia Civil. O convite é resultado da apresentação do trabalho no VI Congresso de Engenharia Civil, o Conenge, que aconteceu em maio deste ano, na cidade mineira de Juiz de Fora.

    O trabalho é uma pesquisa feita pela professora Ana Carolina, que contou com a parceria dos colegas e do aluno, sobre módulo de elasticidade do concreto, na qual propõe um ajuste na forma de cálculo do módulo de elasticidade.

    Docentes e aluno da UCP terão artigo publicado em livro sobre Engenharia Civil
    A Profª Drª Ana Carolina Carius com o aluno de Engenharia Civil, Leonardo de Souza Corrêa na apresentação do trabalho no Conenge

    “Fizemos a medição de vários corpos de prova e um ensaio do modo de elasticidade. Pelo fato do concreto ser heterogêneo, nem sempre esses valores dão iguais. Mas conseguimos provar que o conjunto de valores que foi extraído desses ensaios se comportou conforme uma distribuição normal de probabilidade. Então conseguimos com 99% de certeza colocar os valores dentro de um intervalo. Conseguimos provar que 99% dos corpos de prova que testamos estavam com os valores dentro desse intervalo”, explica Ana Carolina, apontando a importância do resultado.

    “Esses valores que obtivemos foram pouco diferentes do que a norma propõe para o cálculo do módulo de elasticidade do concreto baseado no teste de resistência. Então acreditamos que trabalhar da forma que fizemos estamos mais próximo da realidade do que uma fórmula que eles chegaram a um valor. Isso agrega um comportamento mecânico ao concreto. Claro que o módulo de elasticidade não diz tudo sobre o concreto. Mas ele dá algumas informações importantes do ponto de vista mecânico e estamos também usando esses valores em outra pesquisa”, completa a docente.

    Esse estudo desenvolvido pelo grupo da UCP vai compor um capítulo específico do e-book Engenharia de Construção Civil e Urbana, previsto para ser publicado em dezembro deste ano.

    “Como professora do ciclo básico e formada em matemática, é uma honra aplicar os conhecimentos nos problemas de engenharia civil. Fazer com que meus alunos reflitam sobre os problemas, devolvam senso crítico, criatividade e inovem em soluções. É a concretização de um trabalho que só é possível graças ao laboratório da universidade e o apoio às pesquisas, que ocorrem desde 2016”, comenta a Profª Ana Carolina, que acabou de publicar também o livro Cálculo Diferencial e Integral para Químicos, fruto de outro trabalho de pesquisa.

  • Palestra de lançamento aconteceu nesta segunda-feira (09.09) na OAB, no Rio de Janeiro

    Um grupo representando a UCP esteve presente, nesta segunda-feira (09.09), na palestra de lançamento do Meeting Negociação 2020, que aconteceu na sede da OAB, no Rio de Janeiro. O evento é uma competição internacional de Direito que pretende possibilitar o aprendizado de ferramentas de negociação na prática.



    “Estamos querendo montar uma equipe da UCP para participar da competição em 2020 sobre Negociação, que envolve também Mediação e Arbitragem. São 3 etapas eliminatórias: regional, nacional e internacional. Além do aprendizado para o grupo, seria uma projeção do nome UCP. Fomos na palestra de lançamento, pois temos um grupo de alunos muito interessado em participar”, comenta a Profª. Sintia Said Coelho, que acompanhou o grupo.
  • Bryant Garth esteve no Núcleo de Práticas Jurídicas, no Campus Dom Veloso, nesta segunda-feira (02.09)


    O curso de Direito da UCP recebeu, nesta segunda-feira (02.09), a visita do professor e pesquisador norte-americano mundialmente famoso, Bryant Garth. Ele foi um dos principais colaboradores do Prof. Mauro Cappelletti no célebre Projeto Florença sobre o Acesso à Justiça, que resultou na publicação de uma série de livros, em 1978, que se tornou uma referência para os estudos dessa temática desde então.

    Na visita, acompanhado de sua esposa, Mei Garth, eles visitaram o Núcleo de Práticas Jurídicas, equivalente à experiência das famosas “law clinics” norte-americanas e ficaram muito bem impressionados com a proposta pedagógica do Núcleo. Durante a visita, além de conhecer as instalações da Universidade, o Prof. Bryant também conheceu alguns alunos do curso de Mestrado em Direito da UCP.

    A vinda do professor norte-americano a Petrópolis foi a convite do Prof. Cleber Francisco Alves. Ambos - juntamente com outros três pesquisadores - estão à frente de um novo projeto de pesquisa de âmbito mundial, inspirado no Projeto Florença, cujo objetivo é compreender melhor o atual estágio em que se encontra a questão do acesso à justiça nos diversos países do mundo.


  • A Atlética de Educação Física ficou com o 2º lugar, no resultado geral, e a Engenharia com o 3º


    A equipe da Atlética Imperial de Direito da UCP levou mais um campeonato esse ano, dessa vez, pelo segundo ano consecutivo, o Intercursos 2019. A competição é promovida pela Pastoral da Universidade, com apoio da coordenação da graduação em Educação Física. Os jogos aconteceram no Centro Poliesportivo, no Bingen, nos dias 24, 25 e 31 de agosto e 1º de setembro.

    O campeonato, que tem o objetivo de fomentar e aumentar a participação dos estudantes em atividades esportivas, contribuindo, assim, para a interação entre os cursos, mais uma vez mostrou que a integração, competitividade e o espírito esportivo são os protagonistas da competição. Na classificação geral ainda subiram ao pódio a Atlética de Educação Física, conquistando o segundo lugar, e a de Engenharia no terceiro lugar.

    Confira os resultados das modalidades coletivas:

    Resultado atletismo feminino resultado atletismo masculino resultado tenis de mesa feminino
    resultado fifa feminino resultado fifa masculino resultado tenis de mesa masculino
    resultado xadrez



  • Evento, que encerrou no sábado (31.08), contou com atividades nos dois campi da Universidade


    Durante seis dias, o Centro de Ciências da Saúde (CCS) da UCP ofereceu mais de 60 atividades nas quais foram debatidas, sob a ótica dos cursos de Biomedicina, Fisioterapia, Psicologia e Educação Física, os desafios da saúde na atualidade. A programação fez parte da Semana Científica do CCS 2019, realizada nos dois campi – Dom Veloso e Dom Cintra – e que teve fim neste sábado (31.08).

    Foram palestras, oficinas, minicursos, mesas-redondas, entre outras atividades, sempre trazendo assuntos atuais pertinentes ao tema proposto para debates e reflexões com profissionais atuantes no mercado de trabalho. Na Biomedicina, destaque para as palestras sobre papiloscopia e balística forense; e sobre O milenar e microscópico mestre cervejeiro. Na Fisioterapia, além da celebração dos 50 anos, as palestras sobre bocha adaptada; terapia holística e sobre bandagem elástica funcional (kinesio tape) na prevenção e tratamento de lesões desportivas.

    Mais de 60 atividades na Semana Científica do CCS

    No curso de Psicologia, o minicurso sobre a prática psicológica junto às mulheres atendidas no CRAM e a palestra sobre síndrome alcoólico-fetal: os desafios da saúde pública. Já na Educação Física, a mesa-redonda sobre temas polêmicos no treinamento de crossfit e a palestra/oficina de socorros de urgência.

  • Palestra remontando a trajetória do curso foi apresentada nesta quinta-feira (29.08) dentro da programação da Semana Científica do CCS


    Neste mês de agosto, o curso de Fisioterapia da UCP comemora seu Jubileu de Ouro. A data foi celebrada, nesta quinta-feira (29.08), com uma palestra remontando a história do curso de Fisioterapia que foi o primeiro criado fora das grandes capitais. O bate-papo, feito pelas professoras Marília Isabel Winter Hugh Leon e Maria da Graça Tavares Monteiro, aconteceu no Auditório I do Campus Dom Cintra, dentro da programação da Semana Científica CCS 2019.

    “O curso teve uma evolução muito grande nesses 50 anos, em todos os sentidos.  A cada ano que passa vemos um crescimento muito grande: com os espaços, como o Centro Poliesportivo e o Cidepe, que ajudam na parte prática do conhecimento; as reformas para melhorias desses espaços; compra de aparelhos mais modernos”, pontua a coordenadora do curso, Profª. Ave Regina de Azevedo Silva, que é formada na Instituição assim com as professoras Marília e Maria da Graça.

    Curso de Fisioterapia completa 50 anos

    No encontro, as professoras iniciaram a conversa contextualizando o nascimento do curso com os grandes marcos e acontecimentos da história no mundo e no Brasil. Elas recontaram a trajetória do curso desde sua criação, que foi motivada a partir de uma demanda muito específica da cidade, com o grande número de casos de crianças com paralisia infantil.  A proposta foi uma iniciativa do médico Júlio Pinto Duarte, que integrou o corpo docente do curso.

    Parte integrante do curso, academicamente e na prestação de serviço em prol da comunidade, a palestra também abordou sobre o Cidepe (Centro Interdisciplinar para o Desenvolvimento da Personalidade), criado para atender ao curso antes mesmo da exigência de se ter uma clínica-escola atrelada à graduação de Fisioterapia. Para a Profª e coordenadora do curso, ele é parte fundamental na formação dos alunos.

    “No Cidepe o aluno tem uma experiência diferenciada, pois ele está ali com um profissional formado e experiente durante todo o estágio nas mais diferentes áreas. E lá visamos a qualidade e não quantidade. Então o aluno fica às vezes 50 minutos no atendimento de um paciente, sendo supervisionado, dando a atenção devida. O que muitas vezes num estágio externo ele não terá. O aluno sai do curso com uma bagagem muito grande”, pontua Ave Regina.

  • Até o próximo sábado (31.08), a UCP vai debater os Desafios da Saúde na Atualidade sob a ótica dos cursos de Biomedicina, Fisioterapia, Psicologia e Educação Física da UCP na Semana Científica do Centro de Ciências da Saúde 2019, que teve início nesta segunda-feira (26.08). A abertura aconteceu no Campus Dom Veloso com a palestra Desafios para a saúde do trabalhador na atualidade: quando o trabalho não dignifica o homem, com o psicólogo Rui Carlos Stockinger, realizada no Salão Nobre. Antes, foi celebrada missa na Capela Nossa Senhora de Sion.

    UCP abre Semana Científica do CCS

    Além da palestra de abertura, a programação desta segunda já contou com apresentação de trabalhos dos grupos de pesquisa de Psicologia. Ao longo de toda semana serão mais de 60 atividades abertas ao público realizadas simultaneamente nos dois campi da Universidade – Dom Veloso e Dom Cintra.

    “A intenção desse tema escolhido é abordar, sob o olhar dos quatro cursos, a questão da promoção da saúde, dos desafios da saúde, e também do processo do adoecimento. A ideia é trazer para o aluno as diferentes perspectivas a respeito desses desafios: de manter-se bem e o desafio de sanar problemas. É o aspecto dos dois desafios: da promoção de saúde, como profissional, a questão da qualidade. E o desafio do adoecimento desse profissional de saúde”, pontua a diretora do CCS e coordenadora do curso de Biomedicina, Adriana Afonso.

  • Após uma semana de debates e reflexões sobre temais atuais dentro do universo jurídico, teve fim, nesta sexta-feira (23.08), no Campus Dom Veloso, a Semana Jurídica da UCP 2019. A programação foi encerrada com o lançamento do livro Direito Financeiro e Direito Tributário, do Prof. Roberto Wagner Lima Nogueira, que aconteceu no auditório; seguido da palestra Aspectos atuais da Lei de Improbidade Administrativa e o projeto da nova lei: teoria e prática. O evento foi realizado no Salão Nobre com o palestrante Mauro Gomes de Mattos.

    “Acho que o resultado dessa Semana Jurídica foi muito positivo, porque de fato nós conseguimos trazer temas muito inovadores, temas que estão sendo discutidos hoje em âmbito nacional e que, dificilmente, conseguiríamos debater da forma como nós debatemos se não tivéssemos pessoas tão capacitadas fazendo isso conosco, aqui na Universidade”, observa o coordenador do curso de Direito, Maurício Pires Guedes.



    Ele destaca que o evento foi uma oportunidade dos alunos, principalmente, discutirem temas contemporâneos com profissionais renomados.

    “Discutimos temas como compliance, constelação familiar, a candidatura avulsa, sempre com palestrantes que possuem profundo assunto na matéria. No caso da candidatura avulsa, recebemos o advogado que hoje pleiteia a candidatura avulsa no STF. Da constelação trouxemos a juíza de Petrópolis que atua nessa área específica. Então o balanço é muito positivo. Os alunos dos primeiros períodos ficaram muito motivados por conhecer esses temas e agora espero que eles levem esses temas para a sala de aula para continuarmos os debates”, finaliza o coordenador.

    UCP abre sua 23ª Semana Jurídica que acontece até sexta-feira

  • Terminou nesta quarta-feira (21.08), no Campus Dom Veloso, o III Simpósio Internacional de Teologia da UCP, que durante três dias abordou sobre a Formação afetiva da juventude. A programação começou na segunda-feira (19.08) com palestras sobre a temática ministradas pelo Pe. Dr. Francisco Javier Insa Gomez.

    Em sua terceira edição, o evento é voltado a alunos dos cursos de Teologia, Filosofia, Psicologia, Direito, além de padres, religiosos, diáconos e todos os interessados nos temas apresentados. O objetivo do simpósio, neste ano, foi apresentar aspectos psicológicos, jurídicos e teológicos da formação dos jovens que poderão se casar ou se tornar religiosos na atualidade.



    Foram três dias de reflexão: um dia sobre a formação afetiva da juventude em geral; um segundo mais voltado para a vida sacerdotal e religiosa; e o terceiro sobre o matrimônio. Parte da programação também foi inserida na Semana Jurídica da UCP, que acontece ao longo da semana, com a palestra A imaturidade afetiva como causa de nulidade matrimonial, direcionada aos públicos-alvo dos dois eventos.

    “Escolhemos esse tema por dois motivos: um pelo interesse da Semana Jurídica e por isso escolhemos abordar a palestra sobre a imaturidade afetiva que pode causar a nulidade matrimonial. Essa é uma ideia. E também o tema da maturidade afetiva na vida dos religiosos. Temos visto as questões dos abusos. É uma coisa que precisa ser vista do ponto de vista penal, como punir. Mas principalmente do ponto de vista educativo, como formar os jovens, os adolescentes religiosos para que isso jamais venha acontecer”, comenta o Pe. Anderson Machado Rodrigues Alves, Prof. do curso de Teologia.

  • Os estudantes do Centro de Teologia e Humanidades da UCP discutiram, durante todo o sábado (17.08), sobre África e Educação: avanços, desafios e realidades. O tema norteou a I Jornada Discente do CTH, organizada pelos próprios alunos e realizada no Campus Dom Veloso.

    A programação contou com palestra, mesas-redondas e apresentação de trabalhos e teve o objetivo de discutir a importância do diálogo interdisciplinar nos debates acerca de África e Educação. Foi uma oportunidade de abordar a cultura africana e afro-brasileira em diferentes aspectos: literatura, pensamento filosófico e religioso e ensino de história.



    O evento foi destinado a toda comunidade acadêmica, sobretudo estudantes e pesquisadores da graduação.

    “Eventos organizados por estudantes tem um caráter particular, no sentido de ser organizado e pensado por estudantes e para estudantes. Nessa perspectiva, a jornada é exemplo disso. Espaços de discussão, como os proporcionados pela jornada, são indispensáveis para a formação de professores, principalmente após as leis 10.639 e 11.645, que incluiu nos currículos das escolas a obrigatoriedade da temática de História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena. Além do mais, precisamos discutir sobre África”, observa Luvas Ventura, aluno do curso de História e integrante da comissão organizadora do evento.

  • Foi aberta nesta segunda-feira (19.08), no Campus Dom Veloso da UCP, a Semana Jurídica 2019 que contará com programação todos os dias até sexta-feira (23.08). Em sua 23ª edição, o evento realizado pelo Centro de Ciências Jurídicas da UCP, por meio dos cursos de graduação e mestrado em Direito,  tem a proposta de proporcionar um ambiente de discussão, reflexão e incentivo de produção científica, capaz de traçar vetores tendentes a acomodar questões relevantes sobre Direito na contemporaneidade. Uma missa também foi realizada, nesta segunda, ocasião em que foi dada uma bênção aos professores do curso de Direito pelo evento acadêmico.



    “A Semana Jurídica é um momento de integração acadêmica, dos cursos de graduação e também do mestrado em Direito. Nós buscamos trazer grandes figuras, pessoas que possam contribuir ativamente para a formação do nosso aluno. Teremos ao longo dessa semana discussões sobre temas absolutamente relevantes para o Direito, mas que não necessariamente seriam discutidos no âmbito da sala de aula em razão das suas peculiaridades. Até mesmo pela impossibilidade material de se discutir todas as questões”, observa o coordenador do curso de Direito, Maurício Pires Guedes.

    Na abertura, o público conferiu no auditório pela manhã a palestra Culpabilidade penal,com o delegado de Polícia do Estado de Minas Gerais, Gabriel Hillen Albernaz Andrade, que é graduado em Direito pela UCP; e à noite, no Salão Nobre, sobre o tema Megaprocessos criminais, com o advogado criminalista, Diogo Malan.



    “Megaprocessos criminais é na verdade uma prática em busca de uma teoria. Eles ocorrem na prática e tem vários casos. Os processos da Lava Jato podem ser considerados megaprocessos. Na palestra de hoje a minha ideia é tentar fazer uma construção teórica sobre esse fenômeno: explicando o que é que são e quais são as características que diferenciam os megaprocessos dos processos originários”, comenta Malan, destacando a importância de abordar o assunto para os estudantes de Direito.

    “A principal importância para os estudantes é eles entenderam que existe uma intersecção entre a política criminal e a dogmática do processo penal, e entenderem qual é a fenomenologia do processo penal na pós-modernidade”, completa.

    A programação ainda contará com outras palestras; lançamento do livro Direito Financeiro e Direito Tributário, do Prof. Roberto Wagner Lima Nogueira; e ainda o I Simpósio de Estudos Jurídicos.

  • A doutora em Educação, Maria Celi Chaves Vasconcelos, abriu a aula inaugural do programa de pós-graduação em Educação da UCP, que foi realizada na tarde de quarta-feira (14.03) no auditório do campus BC. Ela falou sobre Arquivos, Fontes e Acervos: a pesquisa em Educação.


  • O Centro Poliesportivo da Universidade Católica de Petrópolis, no Bingen, recebeu no sábado (10.03) mais uma edição dos Jogos de Integração dos Calouros 2018. Para participar, os estudantes doaram 1 Kg de café e leite em pó e todo produto arrecadado foi entregue à Pastoral da Universidade, responsável pela realização do evento. Os itens vão compor as cestas básicas que são doadas todos os meses às famílias atendidas pela pastoral por meio da campanha Adote uma família. Os jogos reuniram as Atléticas de Engenharia, Arquitetura, Finanças, Direito, Educação Física, Comunicação Social/Marketing, Psicologia, Fisioterapia e Relações Internacionais.

  • O professor da UCP, Rodrigo Grazinoli Garrido, levou sua expertise em Polícia Técnica para a Espanha, onde ministrará na segunda-feira (12.02) a palestra CSI a la brasileña: los profesionales y la actuación de la Policía Técnica en Brasil. O tema, que é sua área de atuação e pesquisa, na qual orienta alunos no Mestrado em Direito da UCP, já resultou em mais de cem apresentações de trabalhos e cursos ministrados por Garrido ao redor do Brasil e no exterior. O evento acontece no Centro de Estudios Brasileños, em Salamanca, onde o professor também participou nesta sexta-feira (09.02) do III Congreso de Derecho Ambiental Contemporáneo España/Brasil.


    Professor Rodrigo Grazinoli Garrido participa de dois eventos em Salamanca, na Espanha
    Na Universidade Católica de Petrópolis e também na Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rodrigo ministra disciplinas relacionadas à produção de prova técnica (Medicina Legal e Criminalística) e atua ainda como Perito Criminal da Polícia Civil.

    “A importância da polícia técnica é cada vez maior. A todo momento nos crimes mais comuns até nos grandes escândalos políticos, escutamos falar no trabalho de peritos e na produção de provas que sustentarão as condenações ou garantirão a liberdade dos réus. Dessa forma, o mundo inteiro reconhece essa atuação e o “efeito CSI” ainda é percebido. No Brasil, em virtude do número de crimes e, sobretudo, das operações atuais contra políticos e grandes empresários, a importância ainda é maior”, pontua o professor, que leva o nome da Universidade por onde passa com o know how sobre o tema.

    “Penso que para a UCP, a importância está em dois níveis. Sempre é uma propaganda para as instituições ter seu nome vinculado internacionalmente. Mostra-se como um centro de produção de conhecimento, com professores pesquisadores de renome. Em um segundo plano, penso que os alunos da graduação e da pós-graduação se sentem confiantes ao saber que seus docentes têm esse reconhecimento. Certamente, meus alunos da graduação em Biomedicina, em Direito e do Mestrado em Direito se sentirão representados”, comenta.
  • O professor de Mestrado em Engenharia da Universidade Católica de Petrópolis (UCP), Pablo Javier Blanco ministrou uma palestra plenária no XXXVIII Ibero-Latin American Congress on Computational Methods in Engineering - CILAMCE 2017. Congresso de renome no Brasil, o evento organizado pelo Departamento de Engenharia Civil da Universidade Federal de Santa Catarina foi realizado entre os dias 5 a 8 de novembro, em Florianópolis.

    Professor de Mestrado em Engenharia da UCP no Congresso em Santa Catarina (Crédito Sandra Puente)
    Professor de Mestrado em Engenharia da UCP no Congresso em Santa Catarina (Crédito Sandra Puente)

    No encontro, o professor convidado ministrou a palestra Computational Hemodynamics. From Basic Science to Clinical Applications, sobre pesquisa na área de modelagem e simulação do sistema cardiovascular humano, tanto sobre aspectos básicos da modelagem e da engenharia como a translação para aplicações clínicas.

    O CILAMCE é uma conferência anual promovida pela Associação Brasileira de Métodos Computacionais em Engenharia (ABMEC). Voltado principalmente para pesquisadores e engenheiros, além de alunos de pós-graduação de programas de mestrado e doutorado em áreas afins, o evento tem o objetivo de criar um foro internacional para a comunicação dos mais recentes desenvolvimentos de métodos numéricos nas diversas áreas da engenharia. 

    “A importância da participação nesse congresso resulta fundamental para promover a divulgação das atividades de pesquisa e desenvolvimento realizadas no grupo de pesquisa que coordeno”, destaca o professor da UCP, Pablo Javier Blanco.

    Professor de Mestrado em Engenharia da UCP no Congresso em Santa Catarina (Crédito Sandra Puente)
    Professor de Mestrado em Engenharia da UCP no Congresso em Santa Catarina (Crédito Sandra Puente)


  • A professora do curso de graduação e do mestrado em Psicologia da UCP, Diana Ramos de Oliveira participou do primeiro episódio da segunda temporada do programa Quebrando o Tabu, do canal GNT, em que se discutiu sobre a depressão. O episódio foi ao ar no dia 5 de agosto e contou com a participação de especialistas de diversas áreas, escritores, personalidades e pessoas que sofrem de depressão.

    A professora foi contatada da pela produtora do canal em virtude dos artigos publicados pela docente em revistas científicas sobre questões étnico-raciais e sofrimentos psíquico e psicossocial. A série brasileira, que levou o Gold World Medal, prêmio máximo na categoria Social Issues em 2019 no New York Festivals, discute questões contemporâneas relevantes para a Sociedade.



    “Eu me senti muito honrada de que meu trabalho foi reconhecido e respeitado, tendo em vista o convite para integrar o rol de especialistas e autoridades sobre a temática da depressão, em que pude oferecer uma compreensão psicossocial sobre este mal junto às minorias étnicas e sociais”, disse Diana, que abordou na entrevista questões históricas e psicossociais sobre a saúde mental dos negros e outras minorias, em face de preconceitos e racismo.

    “Poder discutir essa temática é importante, tendo em vista, a experiência contemporânea de polarização e crise social, que acaba suscitando a produção de Schadenfreude (a felicidade e o prazer que as pessoas sentem pelo infortúnio dos outros). Acredito que este fenômeno conduz a um sofrimento psíquico e psicossocial sem precedentes”, comenta a professora, lembrando que essas e outras questões foram discutidas na UCP durante a II Jornada de Estudos Étnico-raciais e outros marcadores sociais da diferença, realizada em maio, evento interdisciplinar que contou com a participação de pesquisadores de todo país.
  • A Profª Lara Sayão, do Centro de Teologia e Humanidades (CTH) da UCP, participou no mês passado da XIX Conferência Bienal ICPIC, que aconteceu em Bogotá, na Colômbia. Realizada entre os dias 24 e 26 de julho, a Conferência constituiu-se como um importante evento para o desenvolvimento da Filosofia com crianças e jovens a nível mundial, desenvolvendo reflexões e ampliando os alcances da prática filosófica inspirada no programa de Matthew Lipman sobre as comunidades de diálogo e investigação filosófica.

    “Valorizando a necessidade e o impacto da Filosofia na Educação de crianças e jovens, o ICPIC dá continuidade aos estudos e à discussão sobre a perspectiva social da Filosofia com o propósito de promover práticas cidadãs transformadoras, destacando o lugar do sujeito ativo, crítico e criativo nos processos de construção social”, explica a professora, que apresentou a comunicação Novos Sócrates, parrhésia e epiméleia heautoû na atitude dos rappers.

    Professora do CTH participa de conferêncoa sobre filosofia para crianças


    No trabalho ela discute os conceitos socráticos de coragem da verdade e cuidado de si nas ágoras contemporâneas, nas rodas de rap, nas quais os jovens problematizam as questões de seu tempo com compromisso com a polis e a reflexão filosófica genuína.

    O evento elegeu os seguintes eixos temáticos: Educação filosófica, cidadania e infâncias; Formação ética e cidadania; Criatividade e transformação social; Filosofia ecosocial; Práticas filosóficas contemporâneas e Linguagem, comunicação e cidadania.

    Além da comunicação oral, a Profª. Lara Sayão também realizou uma oficina sobre o tema, da qual participaram professores de Filosofia de diversos países.

    “A troca de experiências sobre o ensino de Filosofa e o aprofundamento nas questões contemporâneas da área repercutem na formação de nossos licenciandos e potencializa as práticas e as pesquisas na Universidade neste sentido”, observa.

  • Mais do que iniciar mais um período letivo, a UCP prioriza receber seus novos estudantes de maneira especial em um dia exclusivo para eles. Nesta segunda-feira (05.08) foi dia de conhecer os ingressantes da Universidade nos dois campi – Dom Veloso e Dom Cintra – recepcionados pela reitoria, coordenadores e professores dos cursos.

    UCP recebe com boas-vindas novos estudantes

    “Gostaríamos de recepcioná-los e dizer que vocês estão numa universidade que podemos chamar de a maior do interior do Estado e da Região Serrana, por termos quatro programas de mestrado e um doutorado, além dos 26 cursos de graduação. A maior em relação ao que ela pode oferecer como Instituição de Ensino Superior. Temos ainda agregado o Colégio de Aplicação, que para os cursos de licenciatura e outros cursos, como Psicologia, tem um lugar privilegiado para fazer os seus estágios”, disse o reitor da Universidade, Pe. Pedro Paulo de Carvalho Rosa ao apresentar um pouco sobre a história e tradição da Instituição.

    “Nossa Universidade está com 96% com mestres e doutores e nossa meta é chegar a 100%, ainda que a exigência seja apenas um terço do quadro de professores mestres e doutores. Estamos muito além, pois acreditamos que um professor bem qualificado tem a possibilidade maior de dar uma formação mais apropriada ao ponto de quando vocês concluírem sues cursos, estarem em grau de vantagens com relação a muitas outras formações que poderão encontrar na região para competir e ter acesso a vagas na profissão que escolheram. Seja no sentido qualificado técnico, seja na formação humana”, pontuou o reitor.

    UCP recebe com boas-vindas novos estudantes

    O receptivo também é uma oportunidade para os calouros conhecerem mais não apenas a estrutura da Universidade, na qual passarão os próximos anos, mas também o funcionamento acadêmico dos Centros. A tradição aliada à inovação na formação e infraestrutura da Universidade também foram destacadas pela pró-reitora de graduação, Regina Máximo, que frisou sobre a principal missão da Instituição.

    “Nós já temos 66 anos. Somos tradicionais, mas atualizados. Para nós esses 66 anos de experiência de vida significa uma solidez muito grande, de uma instituição que sabe o que faz, sabe para onde quer ir e sabe qual o caminho. Nossa missão é muito nobre. Entendemos que formamos as pessoas para elas atuarem em busca de um mundo melhor, mais justo, mais socialmente equilibrado. Queremos sim desenvolvimento científico, econômico, mas sem perder a humanidade e o valor da pessoa humana. Isso para nós é muito importante”, disse.

    Depois de conhecerem mais sobre a Instituição, os alunos também foram apresentados ao trabalho desenvolvido pela Pastoral da Universidade, que é aberto a todos os alunos interessados, e ainda foram recepcionados pelo Diretório Central dos Estudantes, que representa todos os discentes.

  • Foram apresentados trabalhos de estudantes da graduação e também do mestrado


    Alunos da graduação e do mestrado em Psicologia da UCP participaram, entre os dias 3 e 5 de julho, da 13ª Mostra Regional de Práticas em Psicologia. O evento anual realizado pelo Conselho Regional de Psicologia do Rio de Janeiro aconteceu na Universidade Veiga de Almeida, no Rio de Janeiro.

    Na parte da graduação, foram apresentados resultados de três pesquisas desenvolvidas na Instituição, além de trabalhos desenvolvidos por estudantes no Estágio Supervisionado em Psicologia e Processos Educativos, estes sob supervisão do professor Julio Cesar Cruz Collares-da-Rocha.

    A estudante Julia Bomfim Felippe dos Santos, bolsista do CNPq, apresentou resultados da pesquisa orientada pelo professor Luis Antonio Monteiro Campos, Afrodescendentes na Universidade: estereótipos e preconceito de universitários com relação aos afrodescendentes. São coautores do trabalho as estudantes Nathalia Melo de Carvalho e Amanda Lima Cunha.

    “Desenvolver trabalhos e poder compartilhar seus desenvolvimentos e resultados é extremamente gratificante, discutir acerca e refletir acerca do que pode ser feito posteriormente faz com que o meio acadêmico de pesquisa pareça ainda mais tentador e interessante”, comenta Julia Bomfim, que cursa o 9° período.

    UCP na 13º Mostra Regional de Práticas em Psicologia

    A estudante Marilene de Oliveira, também bolsista CNPq, apresentou resultados de pesquisa desenvolvida no grupo Psicologia e Mídia, Pornografia de Vingança: violência de gênero nas mídias, sob a orientação da professora Cristiane Moreira e coautoria dos estudantes Isabela da Cruz Gomes, bolsista FCRM; Pâmela Mendonça Teixeira de Brito e Edson Fernando Sabadin da Silva.

    “Apresentar uma pesquisa, seus resultados ou um relato de estágios vai além da visibilidade e troca de informações sobre determinado tema e trabalho. É a oportunidade de construir coletivamente conhecimentos, é campo fértil e propício para o florescer de novas perspectivas de mundo, atuação e de transformação”, pontua Marilene Oliveira, que está no 9° período.

    Já o estudante Heverton de Souza Muniz apresentou resultados de pesquisa desenvolvida no grupo Psicologia Jurídica, Cognição Social e Mediação de Conflitos, coordenado pela professora Cristiane Moreira, Crenças sobre Conjugalidade: pesquisa empírica no judiciário petropolitano. O trabalho tem coautoria da estudante Mayara da Rocha Lima e das mestrandas Silvia Maria Zalona Viera e Angélica Schader Dimitriou.

    “Participar da Mostra foi uma experiência muito enriquecedora, pois me possibilitou ter contato a outras práticas e vivências em Psicologia. Apresentar o conteúdo da pesquisa do grupo me deu a oportunidade de perceber toda a relevância dessa pesquisa. E no que diz respeito a debates e construção de conhecimento, foi possível perceber a importância da pesquisa apresentada, demonstrando que a UCP acompanha a trajetória da produção científica. Além disso, ter contato com outros estudos e pesquisas que vem sido produzidas na área me motivam prosseguir na trajetória acadêmica”, disse Heverton, que está no 9° período.

    Trabalhos do Estágio Supervisionado


    Foram apresentados quatro trabalhos de alunos. As estudantes Mirelli Aparecida Neves Zimbrão e Luiza Mendes Daemon de Souza Pinto apresentaram o trabalho Valores, habilidades sociais e psicomotricidade: uma intervenção psicossocial na educação infantil. Já os estudantes Gabriel Macedo de Oliveira e Nathália Marques Vitral apresentaram Valores com contos de fadas e desenvolvimento psicomotor na educação infantil.



    O estudante Daniel Maiworm Abreu Silva apresentou o trabalho Vida aos adolescentes: intervenção psicossocial com alunos numa escola pública de Petrópolis, que tem coautoria de Eliana de Fátima Gastaldo de Lima. O trabalho desenvolvido pelas alunas Julia Bomfim Felippe dos Santos e Tarcila Mara Lucas, intitulado Trabalhando valores, empatia e respeito com adolescentes institucionalizados em vulnerabilidade social, foi apresentado pelo professor Julio Cesar da Rocha.

    “Foi o primeiro trabalho que apresentei fora da UCP e eu não sabia como que seria, por não gostar muito de apresentar. Mas, quando apresentei vi o meu potencial e superei minhas expectativas! Conscientizei sobre a importância da divulgação dos trabalhos elaborados dentro da universidade. Fui com a missão de representar a UCP e foi só sucesso”, comemora o estudante do 7º período, Daniel Maiworm.

    UCP na 13ª Mostra Regional de Práticas em Psicologia


    Participação do mestrado


    Durante a mostra, foi promovida a mesa de debate Ética na palavra escrita: a produção de documentos em diferentes campos da Psicologia, que teve a participação da mestranda Angélica Dimitriou. Ela apresentou a pesquisa desenvolvida no mestrado que analisa a produção de documentos psicológicos para o judiciário, com orientação da professora Cristiane Moreira.

    “Ser convidada a participar desta mesa e estar rodeada de pessoas que pesquisam na área da produção de documentos, com a avaliação psicológica, área em que me interesso e me insiro foi inspirador. Pude observar e dizer o quanto minha pesquisa no mestrado se torna cada vez mais importante dentro do saber que foi discutido, a produção de documentos no judiciário. Perceber novos olhares e entender que resoluções como a 06/2019 nascem nesses espaços de discussão sobre a prática da psicologia é poder fazer parte dessa história”, destaca Angélica Dimitriou.

  • Estudantes do Mestrado também estiveram presentes do evento acadêmico

    A UCP esteve presente com alunos da graduação e do mestrado em Psicologia no II Seminário Internacional da União Latino-americana de Psicologia (ULAPSI), que aconteceu na Faculdade Frassinetti (FAFIRE), no Recife. Com o tema Desafios do contexto latino-americano: ética, conhecimento e práticas psicológicas, o evento aconteceu entre os dias 3 a 5 de julho e contou com a participação de vários alunos da Universidade apresentando trabalhos e, também, estudantes atuando como monitoras no congresso.

    “O envolvimento dos estudantes de graduação com as atividades do mestrado, participando de grupos de pesquisa como bolsistas ou voluntários, desperta o interesse para produção e divulgação do conhecimento. É notável o amadurecimento profissional desses estudantes nas apresentações e participações em debates. Seguros e com argumentos qualificados revelam resultados positivos da Iniciação Científica na instituição”, pontua Cristiane Moreira, professora da graduação e mestrado em Psicologia da UCP.

    A estudante Isabela Gomes apresentou dois trabalhos desenvolvidos pelo grupo de pesquisa Psicologia e Mídia, coordenado pela professora Cristiane Moreira: Análise da Percepção da Abordagem do Suicídio na Série 13 Reasons Why e Etnografia On-line de Experimento de Enfrentamento à Pornografia de Vingança. Os trabalhos têm coautoria dos alunos Pâmela Mendonça Teixeira de Brito, Marilene de Oliveira (bolsista do CNPq), Edson Fernando Sabadin da Silva e dos egressos Francyne dos Santos Andrade e Sylvio Pecoraro Junior.

    “Foi um prazer, mais uma vez, representar a UCP e o grupo de pesquisa em um evento acadêmico! Foi uma oportunidade linda, ainda mais em um evento latino-americano e representando o estado do Rio como monitora. Apresentar os trabalhos do grupo e estar entre pessoas conhecedoras dos temas com experiências tão diferentes foi incrível!”, comenta Isabela Gomes, que também atuou como monitora junto com a colega Mayara Lima.

    UCP no II Seminário ULAPSI

    O estudante Edson Sabadin também apresentou trabalho desenvolvido no CAUCP, em estágio supervisionado pela professora e coordenadora do curso de Psicologia, Rosilene Ribeiro, intitulado Influência dos Meios Tecnológicos no Desenvolvimento Psicomotor na Primeira Infância. Ele apresentou, ainda, o trabalho desenvolvido na disciplina Seminários em Psicologia I, intitulado Análise de um Dispositivo Tecnológico Midiático na Formação de Impressões e Comportamentos em Usuários, que tem coautoria das estudantes Damaris Ferreira Hipólito, Anita Teixeira de Mendonça e Isabela da Cruz Gomes.

    “O reconhecimento da profissão fornecido pela ULAPSI a nível internacional faz com que vislumbramos o quanto que a Psicologia movimenta e entrelaça variados conjuntos sociais e abraça toda perspectiva político-cultural. Poder olhar para relatos, a nível latino-americano, de produção científica para a Psicologia oferecido é, sem dúvidas, uma experiência que levamos para além da graduação”, disse Edson, que cursa o 9° período.

    A graduanda Isabela Goulart apresentou o trabalho Saúde Mental e Automutilação: impactos e influências das tecnologias de comunicação. Já Mayara Lima apresentou a monografia de conclusão de curso, sob orientação da professora Cristiane Moreira, Estudo da Delinquência nos Personagens Capitão da Areia: uma análise psicossocial.

    “Poder participar e apresentar um trabalho no congresso latino-americano de psicologia foi uma experiência ímpar. Foi um momento de trocas e conhecimento que possibilitou ampliar o olhar sobre a psicologia e sobre as diretrizes estudadas nos diversos âmbitos de atuação”, observa Isabela.

    Trabalhos do mestrado da UCP no evento


    Além dos trabalhos produzidos na graduação da UCP, a Instituição também esteve representada com as pesquisas desenvolvidas na Universidade. O objetivo foi apresentar os resultados de estudos desenvolvidos pelo grupo de pesquisa Cognição Social, Psicologia Jurídica e Mediação de Conflitos, com a orientação da professora Cristiane Moreira.

    Foram apresentados os trabalhos A Influência de Crenças Parentais no Estabelecimento da Guarda Compartilhada (dissertação desenvolvida pela mestranda Silvia Maria Zalona Vieira) e Casamento e Separação: uma análise das crenças conjugais após o rompimento. A pesquisa foi desenvolvida na Vara de Família, em Itaipava.

    UCP no II Seminário da ULAPSI

    “Os estudos visam fornecer dados para compreendermos os processos de separação e definição de guarda de filhos menores a fim de orientar intervenções que auxiliem na resolução de conflitos e minimizem possíveis efeitos negativos da separação para os membros do casal e, em especial, para os filhos”, explica a professora Cristiane.

    A estudante Mayara da Rocha Lima apresentou, também, um relato de experiência: Pesquisa Empírica no Judiciário Petropolitano com reflexões sobre a entrada em campo e a articulação entre Psicologia e Direito na prática.

    “Como em outras experiências em congressos foi possível observar que o curso de Psicologia, e seus docentes, nos prepara muito bem para apresentações em público, tanto em conteúdos como em práticas necessárias para facilitar, para terceiros, a compreensão de trabalhos apresentados”, avaliou a graduanda.

Rua Benjamin Constant, 213 
Centro - Petrópolis/RJ
24 2244-4000