www.ucp.br

Os Cursos de Comunicação Social e Marketing da UCP oferecem palestra sobre A Relevância da Pesquisa de Audiência para o Planejamento de Mídia

O Centro de Ciências Sociais Aplicadas da UCP, promoveu no dia 27 de março, para os estudantes dos Cursos de Comunicação Social e Marketing, uma palestra com Lucas Cunha, sobre A Relevância da Pesquisa de Audiência para o Planejamento de Mídia.

O palestrante Lucas Cunha é Publicitário, com MBA em Gestão de Negócios e Inteligência Competitiva pela ESPM-RJ e pós-graduado em Gestão Estratégica da Comunicação pelo IGEC-FACHA. Atua há 7 anos no mercado de comunicação, com passagem em programadora de TV e agências de propaganda. Há 3 anos trabalha na Kantar IBOPE Media, na equipe responsável pelo atendimento e capacitação dos analistas de consumo e mídia de veículos de comunicação, agências de propaganda e anunciantes.

O objetivo da palestra foi discutir o caráter estratégico da pesquisa de mercado para o planejamento de mídia e apresentar o trabalho da Kantar IBOPE Media, no que se refere às pesquisas comportamentais e que colaboram para a determinação das características de consumo no Brasil. 

 

DSC 0599 FILEminimizer

Lucas Cunha se apresentando aos estudantes da UCP.

 

O tema interessou também os estudantes dos cursos de Economia, Relações Internacionais e Administração. Com o salão nobre repleto, o palestrante trouxe um estudo de caso do lançamento de uma marca fictícia de carro para jovens AB. No transcorrer da palestra, foram apontadas "descobertas" sobre o perfil de consumo deste público, utilizando métricas e dados que o Kantar IBOPE Media disponibiliza ao mercado, para que anunciantes, agências e veículos de comunicação possam otimizar recursos e serem mais eficazes em seus planejamentos, não só selecionando mídias com mais índice audiência, como também, a referência  de "afinidade" ao perfil do target.

A professora Raquel Lobão, dos cursos de Comunicação Social e Marketing da UCP, acredita que a vinda de um profissional atento às transformações do mercado de pesquisa à UCP é valiosa, porque permite um contato próximo com a realidade ainda desconhecida pelos alunos. A professora concluiu que “ter um publicitário especializado em planejamento de mídia, explicando o que é audiência e como Kantar IBOPE Media a calcula foi sensacional. A iniciativa é prova de que, muitas vezes, a parceria com representantes do mercado é essencial para que o conteúdo repassado aos alunos seja completo". 

 

ibope

Salão Nobre da UCP repleto na palestra.

 

​Para o palestrante Lucas Cunha, “um bom planejamento de mídia demanda uma estratégia baseada em dados, e a qualidade das informações coletadas faz toda a diferença no resultado final de uma campanha. Em uma época de tantas informações distorcidas e de liquidez da comunicação, ter acesso ​a dados de qualidade é fundamental para a assertividade de uma campanha: atingir o consumidor alvo e, por consequência, incrementar sua rentabilidade. Um dos grandes desafios do mercado é compreender o consumidor, saber como e quando ele será impactado. Um caminho são as pesquisas comportamentais, que apresentam um panorama do o que é consumido pelo target. E também é preciso compreender o que é consumido, por meio de pesquisas específicas para cada meio. Considerar, por exemplo, que a televisão vai muito além da tela grande e entender como este consumo acontece. Pensar sempre que a plataforma e o conteúdo devem ser avaliados em conjunto”.

Lucas conclui dizendo que, “com tantas ferramentas e dados disponíveis, a pesquisa de mídia coloca o planejador em uma posição de enorme responsabilidade na busca pelo sucesso de uma campanha e, muitas vezes, do negócio de um anunciante. A Kantar IBOPE Media entende que, neste contexto, a busca por métricas claras e de qualidade segue ainda maior.

“Os estudantes participaram com muito interesse e trouxeram vários questionamentos. A palestra integrou o programa da disciplina de opinião pública e propaganda, além de ilustrar para estudantes das disciplinas de administração em marketing e pesquisa de mercado conteúdos já trabalhados em aula. ” – Finalizou a Professora Katia Manangao, coordenadora do Curso de Bacharelado em Marketing e Comunicação Social.

 

 Petrópolis, 03 de abril de 2017

UCP realiza palestra pelo Dia Mundial da Conscientização do Autismo

Na última sexta-feira, dia 31 de março, às 19h, no campus BC, foi realizada a palestra “Autismo: Conhecer para intervir”, para os alunos do 1º e 2º período do curso de Psicologia, pelo Dia Mundial da Conscientização do Autismo, ministrada pela Psicóloga, Pedagoga e Psicopedagoga, Renata Zambelli.

Dia 02 de abril é o dia da conscientização do Autismo, data criada pela ONU (Organizações das Nações Unidas) em 2008 para chamar a atenção sobre o Transtorno Espectro Autista (TEA), que apresenta uma alta prevalência nos dias atuais. Em estudos mais recentes, estima-se a prevalência de 1 (uma) em cada 68 (sessenta e oito) crianças nos Estados Unidos (Hartley- McAndrew, Mertz, Hoffman & Crawford, 2016).

“Precisamos conscientizar nossos estudantes do Curso de Psicologia sobre as diversas ações na busca da prevenção e promoção da saúde. A palestra da Prof.ª Renata Zambelli ofereceu aos graduandos dos primeiros períodos a oportunidade de enriquecimento pessoal e profissional. Renata abordou os dados científicos enriquecidos de sua ampla experiência profissional. Esta aproximação da teoria com a prática é muito importante para os estudantes que conseguem deste o início da graduação refletir sobre a aplicabilidade das teorias que são apresentadas durante a graduação. Temos como objetivo em nosso curso formar profissionais com pensamento crítico e reflexivo e com uma visão humanista de como nossa profissão pode trazer o bem estar para a sociedade." – Reforçou a coordenadora do Curso de Psicologia da UCP, Professora Mara Noel. 

 

dia

A palestrante, Renata Zambelli, ministrando para os estudantes de Psicologia.

 

O Autismo é uma desordem do neurodesenvolvimento, que atinge as áreas da comunicação, socialização e comportamento, além de questões sensoriais. Os sintomas devem aparecer no início da infância, até os 30 meses de vida, em média, e o conjunto desses sintomas deve limitar ou impedir o funcionamento do dia a dia da criança.

O déficit da comunicação é caracterizado pela dificuldade que os autistas apresentam em se comunicar, seja da maneira verbal ou não-verbal.  Klin (2006) aponta que 20 a 30% dos autistas não apresentam a fala e os demais que apresentam, variam a forma, podendo acontecer com a repetição do que escutam. A linguagem tende a ser menos flexível, sem possuir uma reciprocidade e, em geral, possuem a entonação da voz monótona. O comprometimento na socialização significa a dificuldade que os autistas têm em se relacionar e de realizar a discriminação com outras pessoas, assim como a incapacidade de compartilhar seus sentimentos.  O desvio qualitativo na imaginação refere-se à inflexibilidade não só do pensamento, mas também da linguagem e do comportamento. Estas características podem ser observadas nos movimentos repetitivos ou rituais, a falta de aceitação na mudança principalmente da rotina, e a dificuldade em processos criativos. 

Neste dia, ressalta-se a importância do conhecimento deste transtorno, principalmente para os profissionais da área da saúde. Atualmente considera-se a intervenção precoce como uma alternativa eficaz para a manutenção dos sintomas do autismo, de modo que crianças atípicas, isto é, com o Transtorno do Espectro Autista, possam se aproximar cada vez mais do desenvolvimento típico e assim favorecer maior convívio social, inclusão escolar e qualidade de vida.

A professora do Curso de Psicologia da UCP, Maria da Graça Monteiro, explica que, “o Núcleo de Acessibilidade e Apoio Pedagógico da UCP tem como objetivo proporcionar e viabilizar uma educação superior inclusiva aos estudantes com deficiência. Com foco na eliminação/minimização de barreiras para proporcionar a formação integral dos estudantes, pretende conscientizar a comunidade universitária do direito das pessoas com deficiência e do processo de inclusão em um ensino superior de qualidade, minimizando as barreiras atitudinais”. A professora conclui dizendo que, “pensando que as universidades são reconhecidas como aquelas que contribuem para a transformação social, seu planejamento deve ser pensado de maneira que promova a acessibilidade a todos, compreendendo a eliminação de barreiras arquitetônicas e atitudinais para pessoas com deficiência, incluindo pessoas com TEA.

 

unnamed 1

Estudantes reunidos na palestra sobre o Dia Mundial da Conscientização do Autismo.

 

“Dia 2 de abril é celebrado o Dia Mundial do Autismo com o intuito de cada vez mais nos conscientizarmos e direcionarmos nossa atenção para esta situação que, segundo levantamento feito no Brasil, aponta uma criança autista para cada 330, nos dando uma dimensão da situação. Informar é conscientizar, e conscientizar é dar condição para que lidemos de forma adequada com essas crianças e adultos que apresentam características muito peculiares, onde habilidades de comunicação, socialização e imaginação podem ter sido prejudicadas. Autista é a sujeito que em alguma medida apresenta sintomas como comportamentos obsessivos e repetitivos, isolamento, repertório de interesses restritos, e uma série de outros aspectos que o caracterizam, mas que não o definem como pessoa, e não necessariamente as impedem de conquistas pessoais e profissionais quando tratados de forma adequada. Diante de tal desafio somos chamados para a reflexão de como podemos e devemos nos colocar diante desta situação, tanto como profissionais quanto como cidadãos e familiares, e também questionar onde de fato reside o problema, se no autista com suas características, ou em nós com nossa dificuldade em lidar com pessoas diferentes? Informação é remédio, e o aprimoramento, fruto desta informação faz com que familiares lidem melhor, e profissionais sejam mais eficientes, contribuindo assim para uma sociedade que desejamos. ” – Finalizou o professor do Curso de Psicologia da UCP, Carlos Henrique Gonçalves.

 

 Petrópolis, 03 de abril de 2017

 

Escola de Música da UCP oferece o II Concerto Didático

A Escola de Música da Universidade Católica de Petrópolis realizou no último dia 24 de março o "II Concerto Didático", com a participação do Conjunto Anima e Cuore da UCP, sob regência do Maestro Antônio Gastão.

O Concerto Didático consiste em uma apresentação de música erudita e popular, realizada pelos professores da Escola de Música da UCP. Os temas abordados, teóricos e práticos, direcionam o foco do espetáculo para uma aula de música. 

Para Angela Rizzo, estudante de piano e canto da EMUCP, o Concerto Didático "é um evento muito interessante. Nos mostra um olhar diferenciado sobre como apreciar um concerto, além da beleza e da arte pura e simplesmente. Nos desperta o pensar sobre as peças apresentadas, como nos foi mostrado neste último concerto didático. Nos alerta também para avaliarmos a época em que foram concebidos e como podem influenciar na dinâmica das obras, apresentando pequenas biografias dos autores e mostrando sua relação com as obras apresentadas. É sempre um aprendizado frequentarmos um concerto didático e só posso agradecer a oportunidade de participarmos de eventos como este". 

 

DSC 0591 FILEminimizer

Coordenador da EMUCP, professor Tharcio de Freitas Becker, Maestro Antônio Gastão, coordenador do Curso de Licenciatura em Música, Coro de Câmara e Conjunto Anima e Cuore da UCP.

 

“Eu tenho muito orgulho em participar do coro de Câmara, pois é uma oportunidade única de termos contato com os compositores renomados, como no último concerto. Fico muito feliz em ver o público prestigiando e ter a chance de passar um pouco do que sabemos para eles. ” – Disse Beatriz Celina Pires, componente do Coro de Câmara do Conjunto Anima Cuore. 

 

DSC 0589 FILEminimizer

A apresentação contou com peças dos compositores Joseph Haydn, Heitor Villa-Lobos e Manoel Dias de Oliveira.

 

Para o Maestro Antônio Gastão, “a ideia, da Escola de Música da UCP, de fazer um concerto didático para o público universitário é excelente. A música erudita precisa de iniciativas como essa. Muita gente diz que não gosta de música clássica simplesmente porque não tem contato com ela. No concerto didático, nós não apenas apresentamos as obras, mas contamos sua história e chamamos a atenção para seus pontos mais interessantes”. O Maestro concluiu dizendo que, “esse tipo de informação aproxima o público e desperta sua curiosidade na hora de ouvir, fatores essenciais para a apreciação. Quando fazemos isso, é comum as pessoas virem nos dizer o quanto essa conversa antes das músicas foi importante e como o evento ficou mais agradável quando elas entenderam o que se esperava delas enquanto ouvintes. Ouvir também é uma arte, e essa arte precisa ser ensinada para que o público desfrute integralmente a obra”. 

 

Petrópolis, 31 de março de 2017

O Centro de Ciências da Saúde oferece palestra sobre o Conselho Regional de Psicologia – CRP

Inaugurando o segundo ciclo do projeto "CRP nas Universidades", na última terça-feira, dia 28 de março, no Salão Nobre do Campus BC, o Centro de Ciências da Saúde da UCP realizou um encontro com os estudantes do Curso de Psicologia e o Conselheiro do XV Plenário do Conselho Regional de Psicologia (Gestão: 2016 – 2019), Ismael Eduardo Machado Damas. O objetivo foi apresentar o papel do CRP e a importância do Sistema de Conselhos para o desenvolvimento da ciência e profissão.

 

IMG 6364

O palestrante, Ismael Eduardo Machado Damas, Coordena a Comissão Gestora da Subsede Região Serrana do Conselho Regional de Psicologia – RJ e é Psicólogo da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE Petrópolis. 

 

“Quando penso no meu futuro enquanto psicóloga, três principais parâmetros norteiam o caminho pelo qual eu pretendo seguir: o da ética, da responsabilidade e o da transformação social. As experiências que a minha formação me propicia são responsáveis em grande parte por esse posicionamento. Entretanto, um evento como este enriquece esse olhar, pois traz consigo novas perspectivas e aponta para outras possibilidades de atuação em campos que podem e devem ser ocupados pelos profissionais da Psicologia. Isso significa não só um novo mercado de trabalho a ser explorado, mas aponta para uma demanda social e fortalece, pelo menos no meu caso, o desejo de fazer da minha prática um agente de transformação, transformação esta que não se restringe mais às paredes da Clínica.
Poder ter acesso às informações e partilhar dessas reflexões tão importantes são as razões pelas quais eu enfatizo a importância do evento e a troca por ele propiciada. Que mais atividades como estas estejam presentes ao longo de nossa formação e que cada vez mais sejam propiciados estes espaços de troca. ” – Disse Francyne dos Santos Andrade, estudante do Curso de Psicologia da UCP.

 

DSC 0612 FILEminimizer

Professor Carlos Henrique Gonçalves, Professora Carla Gebara, Professora Mara Noel, Professora Pollyanna Santos, Victoria Antonieta Tapia Gutiérrez, Ismael Eduardo e a estudante, Francyne dos Santos Andrade. 

 

"O Conselho Regional de Psicologia do Estado do Rio de Janeiro (CRPRJ) incentiva e contribui para a presença do CRP nas Universidades. A realização de eventos dentro do espaço acadêmico tem como objetivo apresentar aos estudantes do curso de Psicologia a função do Conselho para além de suas funções burocráticas e a importância do Sistema Conselhos para o desenvolvimento da Psicologia como Ciência e Profissão no país." – Explicou Ismael Eduardo, Conselheiro do XV Plenário do CRP.

Para a professora Mara Noel, coordenadora do Curso de Psicologia da UCP, “a parceria do Conselho Regional de Psicologia com as universidades é relevante para a formação profissional e ética de nossos estudantes. Podemos através de debates oportunizar momentos de reflexão em que dúvidas sobre a prática profissional podem ser elucidadas. Temos um conselho ativo e muito participativo em ações em prol a nossa área do saber. "

 

Petrópolis, 31 de março de 2017

Centro de Teologia e Humanidades da UCP oferece Palestra sobre Planejamento Urbano e Turismo em Petrópolis.

Em comemoração aos 174 anos de Petrópolis, o Centro de Teologia e Humanidades da UCP ofereceu para os estudantes da UCP e do CEFET, no dia 20 de março, às 19h30min, no Salão Nobre do Campus BC, a palestra “Planejamento Urbano e Turismo em Petrópolis no Estado Novo (1937-1945) ”.

A palestra foi ministrada pelo Prof. André Barcelos Damasceno Daibert, graduado em Turismo pela Universidade Federal de Juiz de Fora (2005), mestrado em Bens Culturais e Projetos Sociais pela Fundação Getúlio Vargas - RJ (2010) e doutorado em Planejamento Urbano e Regional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2016). André é professor adjunto do Departamento de Turismo da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF).

 

 

cth 3

Prof. André Barcelos Damasceno Daibert na palestra para os estudantes de História.

 

 O objetivo do encontro foi revisitar o espaço Histórico e a Cidade como monumentos, sessão comemorativa conjunta IHP (Instituto Histórico Petropolitano) Curso de História, do centésimo septuagésimo quarto aniversário da cidade de Petrópolis.

De acordo com o professor Bruno Tamancoldi, Coordenador do Curso de História da UCP, “Entender o espaço da cidade de Petrópolis como locus privilegiado da cultura turística e principalmente nesse momento peculiar do Séc XX, que é o Estado Novo, foi a contribuição brilhante que o professor André Barcelos Damasceno Daibert nos trouxe nessa belíssima palestra”. O coordenador finalizou agradecendo aos envolvidos na qualidade do evento, “vale ressaltar que esse evento foi uma sessão conjunta com o Instituto Histórico de Petrópolis - IHP. Meus sinceros agradecimentos para a presidente Fátima Argon, pela parceria e amizade”.

 

Petrópolis, 30 de março de 2017

 

 

 

Redes Sociais

Estamos nas redes sociais. Siga-nos e fique informado.

Periódicos CAPES

logo periodicos